Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche nasceu no leste do Tibete (Kham) em 1930. Reconhecido aos quatro anos como um tulku (encarnação de um mestre de meditação), recebeu treinamento rigoroso e aprofundou os seus estudos em retiros extensos. Ele tinha uma afinidade especial pelas artes sagradas e pela medicina tibetana e era famoso por sua voz maravilhosa como cantor.

Em 1959, ele escapou da ocupação comunista do Tibete e viveu exilado em comunidades de refugiados na Índia e no Nepal até se estabelecer nos Estados Unidos em 1979. A pedido dos seus alunos ocidentais, estabeleceu a Fundação Chagdud Gonpa, uma bem-sucedida rede de centros da linhagem Nyingma do Budismo Vajraiana. Em 1994, Rinpoche mudou-se para o Brasil, estabeleceu o Chagdud Gonpa Brasil e começou a construção do seu centro principal, Khadro Ling, no Rio Grande do Sul. Quando morreu, em 2002, ele havia estabelecido mais de vinte centros no Brasil, Uruguai e Chile.

Ao viajar e ensinar constantemente, irradiando entusiasmo e compaixão, tornou-se o lama do coração de centenas de alunos e foi uma inspiração profunda para milhares de outros. Quando lhe perguntavam por que, aos sessenta e quatro anos, mudou-se para a América do Sul ao invés de permanecer confortavelmente nos Estados Unidos, respondia: “percebi a fé dos brasileiros e o seu interesse no Budismo e quis ensiná-los”.

A esposa do Rinpoche, Chagdud Khadro, é a Diretora Espiritual dos seus centros na América do Sul. Seu filho, Jigme Tromge Rinpoche, treina alunos na meditação mais elevada de Dzogchen e é o mestre vajra de muitas grandes cerimônias e iniciações nos centros do Chagdud Gonpa nas Américas do Sul e do Norte. Chagdud Rinpoche também teve uma filha, Dhawa Lamo, que mora e pratica em Boulder, Colorado.

Agora, em um ciclo completo, o tulku de Chagdud Rinpoche foi reconhecido por Khenpo Ngagchung no Tibete. Conhecido como Chagdud Yangsi, ele é o foco das preces e aspirações profundas dos membros da sanga ao redor do mundo.

“Se eu tivesse que deixar somente um legado, seria o da sabedoria da motivação pura. Se eu tivesse que ser conhecido por um único título, seria o de lama da motivação

No momento em que os nossos corações se inclinam à compaixão por todos os seres, a nossa motivação se expande em direção à motivação todo-abrangente de um bodisatva.”

— S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche

Saiba mais: