Lama Pema Dorje Rinpoche (1942-2018).

Em 5 de julho de 2018, o amado e respeitado Venerável Lama Pema Dorje Rinpoche passou para o parinirvana, aos 76 anos. Lama Pema Dorje Rinpoche faleceu no início da manhã em sua casa em East Bay, com familiares e alunos mais próximos ao seu lado. Ele era um lama muito querido da Fundação Chagdud Gonpa, proporcionando muitos anos de orientação aos membros da sangha na América do Norte e na América do Sul. Em nome da Fundação Chagdud Gonpa, eu gostaria de estender nossas sinceras condolências e melhores votos a Khadro Kunsang, consorte do Lama Pema Dorje Rinpoche, e ao seu filho, Tulku Rigzin, e família.

Lama Pema Dorje Rinpoche era um mestre altamente realizado cuja conduta era muito bonita de se observar, alguém que manifestava a inseparabilidade de visão perfeita e conduta. Ele mantinha uma ioga do guru impecável com seus professores, era constantemente carinhoso e respeitoso com seus irmãos e irmãs-vajra e demonstrava amor incondicional e preocupação a seus alunos. Há décadas era um amigo precioso para muitas famílias e comunidades. Apesar de sua considerável sapiência e realizações de ioga, ele, no entanto, sempre permaneceu humilde e era conhecido por todos por sua bondade genuína, riso fácil, rápido senso de humor e aspiração incansável de beneficiar os seres. Mesmo nos últimos anos de vida, como a saúde em declínio, dedicou-se com afinco para oferecer suporte aos muitos alunos em toda a América, Europa Oriental e Ásia que dependiam dele. Por muitos anos, em especial, depois que S.S. Dilgo Khyentse Rinpoche, em 1991, pediu-lhe para ensinar mais amplamente, ele treinou alunos no mundo inteiro, principalmente nas práticas de chö, Tara Verde, Tara Vermelha e tsa-lung, como também dava instruções profundas da Grande Perfeição. Rogo para que seu legado continue por meio dos alunos que aspiram praticar com a mesma pureza e humildade que ele corporificava.

Lama Pema Dorje Rinpoche nasceu em 1942, nas margens do Rio Ganges, em Rishikesh, em uma famíia de iogues cujos ancestrais podiam ser rastreados até a linhagem paterna de Milarepa. Ainda bem jovem, recebeu todos os ensinamentos do Longchen Nyingtig e de Machik Labdron. Através de Golok Serta Rinpoche, um detentor da linhagem de ensinamentos de tesouro de Dudjom Lingpa, se conectou com a prática de Tröma Nagmo e, posteriormente, tornou-se um seguidor da linhagem Dudjom Tersar ; aos 17, encontrou-se com S.S. Dudjom Rinpoche pela primeira vez.

Lama Pema Dorje Rinpoche viveu e estudou com muitos dos maiores lamas da sua época, de S.S. Dudjom Rinpoche e S.S. Dilgo Khyentse Rinpoche a Kunzang Dorje Rinpoche e nosso próprio professor S.Ema. Chagdud Tulku Rinpoche. Para termos uma melhor ideia da incrível variedade de ensinamentos que Lama Pema Dorje Rinpoche detinha e entender suas qualidades e dedicação incondicional a uma vida de prática de Darma puro, aconselho-os a ler a biografia completa dele no site http:// www.sangchenpemachholing.org.

Quando nossos professores passam para o parinirvana, às vezes nos sentimos perdidos e nos perguntamos como poderemos continuar sem eles. Contudo, a proximidade preciosa que compartilhamos com esses professores está longe de ter terminado. Podemos desenvolver confiança por meio da devoção ao guru e contando com a sangha. Hoje, quando toda a sangha do Lama Pema Dorje Rinpoche se reuniu para celebrar o tsog, fizemos a prática na qual dos dois lados se revezam para confessar e fazer prostrações uns aos outros. Esse é um aspecto importante de como a sangha pode manter a força e a harmonia. É claro, oferecer tsog, recitar mantras e fazer muitas preces são de grande importância, porém, se não confessarmos genuinamente os vários pequenos erros e transtornos cometidos por qualquer membro da sangha, estaremos sabotando não só a nossa própria prática como também a harmonia e a atividade de toda a sangha.

Quando o lama morre, também nos voltamos para a pessoa ou pessoas mais próximas a ele para então entendermos a melhor forma de agir para ajudarmos a manifestar a intenção iluminada do lama. Neste caso, devemos ficar perto de Khadro Kunsang-la, para que possamos nos alinhar corretamente com o que Rinpoche tencionava fazer para dar continuidade às suas atividades .

E, de fato, a chave para sustentar a vitalidade de qualquer prática que Lama Pema Dorje Rinpoche nos deu e reforçar a nossa dedicação ao caminho, é a ioga do guru. Para alguém suficientemente afortunado para ser aluno do Rinpoche, apenas refletir sobre a humildade dele evita muitas armadilhas. Se recordarmos as realizações sublimes de Lama Pema Dorje Rinpoche e, ao mesmo tempo, sua completa falta de arrogância, como poderemos nos tornar orgulhosos? Se recordarmos a pureza de sua devoção e respeito por seus professores e linhagens, será possível ver o guru manifesto em todos os seres à nossa volta. Dessa forma, estaremos novamente no abraço do lama, quer ele esteja fisicamente presente neste mundo ou não. Ao emular a devoção ao guru que Lama Pema Dorje tinha, ao aspirar praticar com pureza e simplicidade como ele praticava, há uma chance muito maior de os ensinamentos do Vajrayana permanecerem neste mundo por muito tempo ainda. Se levarmos no coração a alegria e a integridade do Rinpoche, isso, por si só será um imenso benefício para nós mesmos e para aqueles que encontrarmos.

Mais informações sobre a cremação e os pujas serão dadas posteriormente.

Cordialmente,

Jigme Tromge Rinpoche
Diretor e lama residente do Chagdud Gonpa Ati Ling