Se a sua meta última é a iluminação, a prática de ngondro é indispensável. Not for Happiness é o seu guia perfeito, pois contém tudo que o praticante novato precisa saber para começar a praticar, incluindo conselhos sobre como desenvolver a “mente de renúncia”, a disciplina, a meditação e a sabedoria; como usar a imaginação na prática de visualização e porque o guru é necessário.

Da contra-capa de Not for Happiness: A Guide to the So-Called Preliminary Practices (ainda sem título em português)

A famosa mandala das 21 Taras representa as qualidades da mente iluminada. Individualmente, cada manifestação de Tara remove um certo tipo de obstáculo. Coletivamente, elas protegem os seres dos medos da existência cíclica. Por serem o aspecto feminino da iluminação, elas parecem especialmente sensíveis às orações dos praticantes, como mães sublimes. No nível último, representam o espaço-mãe de sabedoria, de onde compaixão surge em formas desimpedidas e variadas.

Dzongsar Khyentse Rinpoche ensinará o Louvor às 21 Taras no Khadro Ling, em Três Coroas, e no Odsal Ling, em São Paulo. Ambos os centros incorporarão a prática dos louvores durante o evento e outros centros do Chagdud Gonpa também se unirão à acumulação dos louvores. Esses ensinamentos acontecerão durante o Sagadawa, um período de incrível multiplicação de virtude. Sexta-feira, dia 12, é a lua cheia do Sagadawa, que comemora a iluminação de Buda Shakyamuni.